“Funchal Sempre à Frente” sente que a população se identifica com o projeto e sabe quem é que lhe deita a mão

22-09-2021
“Funchal Sempre à Frente” sente que a população se identifica com o projeto e sabe quem é que lhe deita a mão
A poucos dias das eleições, Pedro Calado assume que as coisas estão muito claras neste momento, por estar «há muito tempo no terreno a auscultar a população, identificando e apresentando soluções». 

Trabalhar em articulação com o Governo

Pedro Calado afirma que foi preciso a candidatura “Funchal Sempre à Frente” ir ao terreno denunciar problemas para que estes fossem resolvidos, vincando que a população já se apercebeu de quem tem soluções. «Nós pedimos ajuda aos serviços do Governo Regional, às empresas e conseguimos resolver algumas necessidades da população porque já estamos, no terreno, a trabalhar, muito antes de se iniciar a campanha eleitoral. Nós não temos vergonha de assumir que queremos trabalhar na Câmara em articulação com o Governo, fazemos o que for preciso para proteger o nosso povo».

A campanha da mentira 

«Uma coisa é contestar uma ideia de uma candidatura ou ir atrás das mesmas propostas, outra coisa é andar de porta-a-porta a distribuir panfletos a mentir à população que nós vamos cortar os apoios sociais, que vamos cortar os medicamentos e os transportes gratuitos aos idosos, que vamos acabar com os manuais escolares. Isto é crime, isto é uma política de mentira mas é aquilo que eles estão habituados a fazer, é aquilo que estão habituados a dar à população: é mentira atrás de mentira», desabafou, sobre a campanha realizada pelo actual executivo da CMF. 

«Vamos ganhar no Domingo»

Para Pedro Calado, a coligação PSD-CDS tem todas as possibilidades de ganhar as eleições: «Vamos ganhar no Domingo». A razão é simples: «estivemos no terreno de manhã à noite a ouvir a população há meses e é com muito orgulho que temos feito este trabalho e temos sentido boa receptividade de toda a população na estrada e a população está receptiva ao nosso projecto». 

Todos os votos contam. Pede, por isso, que os eleitores esqueçam as sondagens. «A única sondagem é o dia 26 às 08:00, da noite, e só há um voto útil, que é ‘Funchal Sempre à Frente’ com um projecto para quatro anos».