Notícias

Câmara do Funchal deve ter Departamento de Projetos

Câmara do Funchal deve ter Departamento de Projetos

19-07-2021
A proposta foi apresentada pela candidata a vice-presidente da Câmara Municipal do Funchal, Cristina Pedra, em encontro realizado com empresários na Freguesia do Monte e que se realizarão em todas as Freguesias 

A candidatura “Funchal Sempre à frente” está a promover, em todas as freguesias, encontros informais com empresários e entidades sem fins lucrativos, sensibilizando para os incentivos financeiros disponíveis, para os benefícios fiscais e para a recuperação de impostos. 

Com o objectivo de tornar mais acessível estes mecanismos de apoio a estas entidades, a candidata a Vice-presidente da Câmara Municipal do Funchal (CMF), Cristina Pedra, que nesta sessão teve a companhia de Idalina Silva, candidata à Presidência da Junta de Freguesia do Monte, defende a criação de um departamento de projectos, que centralize toda a informação com vista a uma melhor divulgação das verbas disponíveis, nomeadamente para o funcionamento, para despesas a fundo perdido e para subvenções quer ao investimento como à sobrevivência de diversas entidades. 

«Queremos que haja um discurso fácil, fluído, permanente e acessível com a CMF. A autarquia tem que que ter uma porta aberta que indique a qualquer momento no caso concreto, que leque de oportunidades existem, uma vez que não é possível ter o domínio, dia-a-dia, de todas as facilidades ao dispor de todos os munícipes quer sejam pessoas singulares, instituições sem fins lucrativos, igreja e empresários que podem ser sociedades ou empresários em nome individual», referiu Cristina Pedra.

Com o "Funchal Sempre à Frente", na Presidência da Câmara Municipal do Funchal, «a cidade e todos aqueles que nela vivem e trabalham vão ter uma ligação activa à autarquia e vão contar com o apoio qualificado e dedicado da nossa parte, seja para ajudar a ultrapassar as dificuldades burocráticas ou para encontrar as melhores soluções para cada caso».

Numa altura em que as moratórias chegam ao fim, interessa detectar as oportunidades e dizer concretamente como é que as empresas podem maximizar a sua própria sobrevivência e o relançamento para o futuro, que se espera que seja mais risonho.
Pedro Calado quer desenvolver o Funchal com investimento público e apontou prioridades para os próximos anos

Pedro Calado quer desenvolver o Funchal com investimento público e apontou prioridades para os próximos anos

19-07-2021
Pedro Calado não vê qualquer problema em deixar de ser vice-presidente do Governo para, caso seja eleito, assumir a presidência da Câmara do Funchal.

“Aceitei o desafio de ser candidato com muito orgulho, porque o meu primeiro objectivo é lutar pelas pessoas e se é para trabalhar pelas pessoas tanto faz estar no Governo, como na CMF, não vou atrás de qualquer tacho, não vou atrás de qualquer cargo”, esclareceu o cabeça-de-lista da candidatura ‘Funchal sempre à frente’ na apresentação de Marco Gonçalves como candidato à presidência da Junta de freguesia de São Martinho.   

Pedro Calado assumiu também o compromisso de desenvolver uma cidade com projectos, com investimento, olhando para a população, ajudando aqueles que mais necessitam, mas sobretudo criando uma geração de oportunidades. “Queremos uma cidade desenvolvida com igualdade de oportunidades e fazendo acreditar que os projectos privados ajudam o sector publico a desenvolver uma economia”, referiu.

O cabeça-de-lista à Câmara Municipal do Funchal considera que actualmente o sector do urbanismo  da autarquia está estagnado, leva 3 a 4 anos para  apresentar e aprovar  projectos. “Nós  não queremos isso”, sublinhando que o urbanismo é uma das principais fontes de receitas em termos de impostos municipais, mas também um dos factores de desenvolvimento da cidade. 

Por isso, exortou os cidadãos para o que está em causa nas próximas eleições: “Ajudar a população a ter uma vida melhor crescendo economicamente com futuro, criando mais investimento publico, criando mais jardins, acabando com os  desastres da mobilidade na cidade. A pista de ciclismo é um flop monumental, fazer o que estão a fazer com a rede de abastecimento de água é um crime. Todos os dias há rupturas de água. Não há investimento neste sector, os munícipes pagam a água e vem este executivo  criticar a  Águas e Resíduos da Madeira  que  é quem sustenta o abastecimento de água no concelho. Alguém está a ficar com o dinheiro nos bolsos”, afirma o candidato. 

Pedro Calado refere que o actual executivo da coligação ‘Confiança’ orgulha-se tanto de ter reduzido a dívida da autarquia, mas constata que o povo está a viver muito pior do que há oito anos. “Daqui a oito anos precisamos de manter as infra-estruturas rodoviárias, é preciso manter o saneamento básico, é preciso ter uma cidade limpa e não a pouca vergonha que está acontecer, animais espalhados por todo o lado, delinquentes espalhados por todo lado, seringas espalhadas por todo o lado. A cidade nunca esteve tão porca e suja como está agora, é uma pouca vergonha e nós temos que resolver este problema”, diagnostica.
Marco Gonçalves quer libertar São Martinho da estagnação e fazer das pessoas a prioridade da Junta de Freguesia

Marco Gonçalves quer libertar São Martinho da estagnação e fazer das pessoas a prioridade da Junta de Freguesia

19-07-2021
O candidato pela Coligação PSD/CDS à presidência da Junta de Freguesia de São Martinho defende que é chegada a hora de voltar a colocar a freguesia na senda do desenvolvimento, olhar para as potencialidades e trabalhar em rede  com os vários setores da sociedade. “Neste tempo sem igual, que nos impôs tantas mudanças, há que dar a mão a quem mais precisa, fazendo das pessoas a prioridade da nossa acção”, referiu Marco Gonçalves.

Entre os objectivos traçados, Marco Gonçalves assume como prioridade, melhorar as condições de vida das populações e garantir o aumento da coesão cultural, social e económica. “Hoje, mais do que nunca, necessitamos do poder local para garantir mais desenvolvimento e mais justiça social”, defende o candidato.

O cabeça-de-lista à presidência da junta considera que São Martinho é actualmente, uma freguesia estagnada. “Não se aponta, uma obra preponderante, um programa devidamente regulamentado, um projeto totalmente inovador”, criticou o candidato, estranhando que “a Junta mais rica da Região, não consiga ter uma única ideia que vá além da realização de cruzeiros feitos no Mediterrâneo e considerados pelos socialistas de São Martinho apoios sociais”. “Em 8 anos a freguesia se estagnou e se estrangulou em muitas áreas”, salientou. 

Marco Gonçalves  referiu que “entre 2014 e 2020, o orçamento da Junta  de Freguesia passou de 523 mil euros para 860 mil euros, mas, hoje, volvidos 8 anos e com  5,6 milhões de euros depois, aquilo que este Executivo tem para mostrar é o caos no trânsito, são estradas degradadas, é o desgaste dos equipamentos públicos, a falta de limpeza nos becos, nas veredas e nos sítios”. “É o empobrecimento da imagem da nossa freguesia, do ponto de vista do seu potencial turístico”, sublinha. 

É por estar contra este estado de coisas que o fisioterapeuta de 50 anos, aceitou ser candidato, “não para ser alternativa, mas sim, para ser a afirmação de um novo rumo para a freguesia e para a cidade”, sublinhando que São Martinho precisa de Pedro Calado como presidente da Câmara para “soltar amarras e desafazer os nós que amordaçam o seu desenvolvimento”.