Notícias

Novos nós para descongestionar o trânsito em Santo António e no Esmeraldo

Novos nós para descongestionar o trânsito em Santo António e no Esmeraldo

16-09-2021
São duas novas propostas de Pedro Calado e do “Funchal Sempre à Frente”, na semana dedicada à mobilidade, para descongestionar o problema do trânsito, um dos desafios que o Funchal enfrenta presentemente e que causa tanto transtorno.

Em concreto, as entradas e saídas da via rápida, beneficiando assim os cidadãos, em particular, e a cidade, em geral. 

Nó de Santo António

Descongestionamento da rede viária envolvente ao Nó de Santo António: 

- Novo ramo de saída da Via Rápida (VR1) no sentido Aeroporto/Ribeira Brava, para a zona da Penteada/Álamos;

- Alargamento da Avenida da Madalena para permitir a duplicação da via nos dois sentidos, incluindo a criação de um parque de estacionamento público;

- Alargamento do ramo de saída da VR1 sentido Aeroporto/Ribeira Brava para permitir dar continuidade do ramo para a Av. da Madalena;

- Duplicação da Rua Maximiano Sousa "MAX" entre a nova saída da VR1 e a Rua Padre Manuel Sancho de Freitas (acesso às piscinas municipais), incluindo a criação de nova travessia sobre a Ribeira de Santo António;

-Criação de novas rotundas entre a Av. da Madalena e o Caminho de Santo Antonio, e a Av. da Madalena e a Rua Maximiano Sousa "MAX";

- Reformulação da rotunda entre Caminhos dos Álamos, Penteada e da Azinhaga.

Nó do Esmeraldo

Sentido Ribeira Brava/Aeroporto: 

- Colocação de um separador rígido entre a Via Rápida (VR1) e o ramo de saída para a Levada do Cavalo; 

- Via dedicada para a saída em direção à rotunda do Laboratório Regional de Engenharia Civil (LREC).
“Funchal Sempre à Frente” defende a revisão imediata do PDM

“Funchal Sempre à Frente” defende a revisão imediata do PDM

16-09-2021
Pedro Calado garante que tem na sua equipa um dos técnicos mais credenciados do País na área do urbanismo e vai implementar linha verde para o departamento de urbanismo dar respostas mais céleres aos cidadãos. 

Pedro Calado assume que a revisão do Plano Director Municipal (PDM) é um dos primeiros actos a pôr em prática após ganhar as eleições.

«Quando saímos da CMF em 2013, deixamos o documento pronto para ser implementado. Com a governação socialista na CMF o que se verificou logo foi um atraso de 5 anos. O PDM só foi revisto entre 2017 e 2018 e essa alteração veio piorar muito o que nós tínhamos preparado em 2013», constata Pedro Calado. 

Eis um exemplo: «as zonas altas das freguesias de São Martinho, Santo António e São Roque foram as mais afectadas. Hoje as famílias querem legalizar as construções que já existiam e não conseguem porque o actual plano não permite», adverte Pedro Calado. 

Outra situação apontada é o facto do actual plano criar espaços verdes (Santo António) onde antes havia permissão de índice de construção elevado e noutras foram transformadas em zonas agrícolas (São Martinho). 

Acompanhado dos candidatos a presidentes de Junta de Santo António e São Martinho, Ilídio Castro e Marco Gonçalves respectivamente, e do candidato a vereador do urbanismo, João Rodrigues, Pedro Calado referiu outra situação que funciona mal na autarquia: o atraso na aprovação de projectos por parte do Departamento do Urbanismo. 

«Temos que dar uma volta de 180 graus. Não podemos ter os promotores a querer investir numa cidade, a querer criar postos de trabalho e uma autarquia que demora, dois a três anos, para dar resposta aos processos», critica Pedro Calado. 

Uma linha verde em termos de legalização de projectos é o que o “Funchal Sempre à Frente” quer implementar na CMF, para que os cidadãos, construtores e os promotores, tenham uma resposta mais célere, em 60 dias, aos seus projectos, deixando, assim, de haver espera prolongada, de mais de três anos, que inviabiliza o crescimento da cidade do Funchal

Pedro Calado, que escolheu o Pico dos Barcelos para fazer campanha esta, quarta-feira, sobre o tema do urbanismo, assegura que tem na sua equipa um candidato experiente, que já foi vereador, o engenheiro João Rodrigues, que segundo refere, é um dos técnicos mais credenciados do País em termos de urbanismo.
“Funchal Sempre à Frente” denuncia mentiras dos adversários

“Funchal Sempre à Frente” denuncia mentiras dos adversários

16-09-2021
Pedro Calado garante apoios sociais a quem precisa

Pedro Calado acusa a coligação ‘Confiança’ de mentir à população ao distribuir panfletos a dizer que o PSD vai acabar com os apoios sociais. Desmascarando as mentiras: «alguma vez o PSD acabou com os apoios sociais?!Algum partido mais que o PSD deu apoio social à população?!Andam a fazer considerações falsas e nós temos que desmascarar estas mentiras do PS».

Ninguém vai acabar com os manuais escolares, alerta. «Nós nunca dissemos que vamos acabar com os apoios à população. Nós vamos continuar a dar esse apoio a quem precisa e reforçar para aqueles que estão a trabalhar e têm rendimentos baixos. Vamos ajudar nas escolas, a pagar as creches e as rendas». 

Outra mentira dos socialistas é acusar Pedro Calado de querer acabar com a atribuição dos medicamentos aos mais velhos. «Nós não vamos acabar com nenhum apoio. Nós vamos reforçar esses apoios sociais aos idosos, garantindo a compra de medicamentos, transportes gratuitos e acompanhamento domiciliário», esclarece. 

A equipa do “Funchal Sempre à Frente” está preparada para criar programas especiais de apoio à população. «A nossa preocupação é ajudar os mais carenciados, aqueles que hoje estão na pobreza e sem condições para ter uma vida mais digna. Vamos ajudar a que tenham emprego e não ficar sempre de mão estendida a pedir uma esmola», salienta. 

Outra mentira do actual executivo camarário é afirmar o “Funchal Sempre à Frente” vai privatizar os serviços de salubridade e do ambiente. «Os trabalhadores podem ficar descansados que vão continuar na CMF, vão continuar a ter a sua progressão na carreira. Não há privatização de nenhum serviço», assegura Pedro Calado, que lamenta que a coligação ‘Confiança’ esteja a tentar denegrir todo o trabalho que o “Funchal Sempre à Frente” tem apresentado a toda a população.

A candidatura ‘Funchal Sempre à Frente’ esteve ontem à noite no Bairro de Santo Amaro, em Santo António, em diálogo com as populações.

O compromisso de Pedro Calado é «lutar pelas pessoas», pois não está preocupado com os tachos, como faz o actual presidente da CMF «que não suspende as funções porque está agarrado ao tacho e porque está a usar os dinheiros públicos para financiar a sua campanha eleitoral».

«O que me move é fazer crescer o Funchal que nos últimos oito anos esteve estagnado. O projecto da minha equipa é de trabalho, lealdade e de progresso», garante Pedro Calado.

Nesta acção de campanha, Pedro Calado contou uma vez mais com o apoio de Alberto João Jardim. O ex-presidente do Governo Regional fez questão de lembrar à população que foi o seu governo que tirou a população da miséria. «Se eu fosse atrás do PS que esteve sempre contra as obras tínhamos emigrado todos», manifestando esperança na equipa de Pedro Calado que diz ser a melhor para gerir a cidade
Propostas do “Funchal Sempre à Frente” para melhorar a mobilidade no Funchal

Propostas do “Funchal Sempre à Frente” para melhorar a mobilidade no Funchal

15-09-2021
Pedro Calado e o “Funchal Sempre à Frente” dedicam, esta semana, a sua actividade de campanha ao tema da 'Mobilidade', apresentando seis grandes e importantes projectos que visam criar/melhorar zonas de entradas e saídas das Vias Rápidas.

O objectivo passa por descongestionar o trânsito, no Funchal, que nalgumas zonas se encontra sobrelotado. Os projectos que Pedro Calado e o “Funchal Sempre à Frente” pretendem implementar serão feitos, em parceria, com o Governo Regional.

Nó da Pestana Júnior
Descongestionamento do Nó da Pestana Júnior:
- Beneficiação e construção de novos ramais de acesso, que permitirão uma ligação mais fluída ao túnel existente da Pestana Júnior, ao bairro da Pena e à Estrada Luso-Brasileira;
- Duplicação da via ascendente até à entrada na Via Rápida (VR1), no sentido Machico / Ribeira Brava;
- Extensão da via de aceleração de entrada na VR1, no sentido Ribeira Brava / Machico;
- Extensão da via de desaceleração de saída da VR1, no sentido Machico / Ribeira Brava.

Nó de Santa Luzia
Eliminação dos conflitos existentes na entrada/saída da Via Rápida (VR1), no sentido Aeroporto / Ribeira Brava:
- Criação de uma nova saída em túnel para a zona da Fundoa, com ligação direta a uma nova rotunda junto à sede dos Horários do Funchal;
- Aumento da via de aceleração para quem entra na Via Rápida (VR1), que obrigará ao alargamento do túnel norte João Abel de Freitas, numa extensão de 170 metros.
Cultura, património e preservação dos espaços públicos são apostas de Luís Sousa para a Sé

Cultura, património e preservação dos espaços públicos são apostas de Luís Sousa para a Sé

15-09-2021
Luís Sousa, acompanhado por alguns dos candidatos do “Funchal Sempre à Frente” à Junta de Freguesia da Sé, visitou as obras em curso de recuperação do tecto da Sé, igreja, que é monumento nacional. Trata-se de um investimento do Governo Regional de um milhão e 600 mil euros, na defesa do património.

No programa que tem apresentado à população da Junta de Freguesia da Sé, Luís Sousa, que se recandidata para cumprir o terceiro mandato, o apoio à cultura e a preservação do património e espaços públicos, ocupa lugar de destaque. 

Uma das propostas da equipa do “Funchal Sempre à Frente” para a Sé passa precisamente por efectuar um levantamento rigoroso de todas as esculturas da freguesia, de modo a criar e disponibilizar, publicamente informação sobre cada peça escultórica. 

Neste campo, registe-se, a realização de iniciativas de homenagem a vários sectores da Freguesia da Sé, que será assinalada com a instalação de monumentos escultóricos. 

Nesta área da cultura, destaca-se, igualmente, o aprofundamento das parcerias com as associações culturais e recreativas da Sé, com a garantia de apoiar as suas actividades.

Também é intenção de Luís Sousa e da sua equipa, recuperar, logo que possível, as antigas Festas da Sé, bem como as dos Santos Populares, nomeadamente o São João, pelo seu impacto no apoio à dinamização do comércio local, bem como à dinamização das actividades culturais associadas a este evento.